A Black Friday, tradição de liquidações que acontece na última sexta-feira de novembro, após o Dia de Ação de Graças foi incorporada nos últimos anos no Brasil. Ganha cada vez mais força graças às mídias digitais.

Mas pode fazer um estrago na sua vida, se você tem a tendência a gastar mais do que pode.

Cuidado com os próximos dias. Até porque muitas ofertas são fake.

A Black Friday e os riscos para quem sofre de oniomania

Em 2020, por causa da pandemia de coronavírus, compras online ganharam destaque. Não por acaso, o Banco Central orienta sobre como se livrar do endividamento em tempos de Covid-19.

Quanto mais perto da Black Friday, mais notificações de ofertas – até de coisas que não precisava – se acumulam nas suas caixas de e-mail e chegam no seu smartphone, onde você for.

As tentações agora pegam você dentro de casa. Tenha ainda maior preocupação se você sofre de oniomania.

Você pode até sofrer de oniomania sem saber o que é.

Oniomania é o transtorno de compulsão por compras. Este comportamento obsessivo,   desenfreado e sem controle, pode acabar com a sua saúde financeira. E também afetar suas relações familiares e/ou amorosas.

Dicas para evitar o endividamento
  • Se puder, desconecte-se um pouco;
  • Desative as notificações e direcione as ofertas das lojas para spam;
  • Liste as coisas que realmente precisa – e para quê;
  • Evite passear nos shoppings se não tiver uma necessidade real;
  • Procure ajuda psi – ou se já estiver em terapia fale sobre isto com seu/sua psicóloga.
Como tratar a oniomania

Ajuda profissional especializada é a forma mais indicada para lidar com o problema a médio e longo prazo. Em alguns casos, será preciso recorrer a um/a profissional de contabilidade e/ou de direito. Assim, você poderá calcular a dívida e propor renegociações com as empresas ou pessoas credoras.

E, claro, a ajuda psicológica é fundamental para entender  as emoções envolvidas  na compra e no pós-compra. O que impulsionou à compra e ao consequente endividamento? Que necessidades emocionais você buscava atender? 

Emoções ligadas à oniomania

Se você sofre de compulsão por compras – ou melhor Transtorno Compulsivo por Compras -, provavelmente tenta esconder isto das pessoas próximas. Mas não falar sobre este problema pode levar a sua vida financeira ao caos.

O filme Becky Bloom retrata de forma divertida o drama de quem sofre deste problema. Mas, não se engane: na vida real pode ser trágico, se não houver ajuda especializada e apoio das pessoas próximas.

Já se viu assim? Surtando porque comprou demais?

Como muitos  shoppaholics – ou oniomaníacos -, Becky mente para disfarçar sua situação. Em comédia romântica, é fácil resolver qualquer problema, até um transtorno psiquiátrico.

Mas, na vida real, como surge?

Existem várias causas possíveis. Pode ser uma tendência genética à compulsão. Mas também pode ter sido aprendido observando o comportamento das pessoas próximas.

Existem outras “justificativas”, mais sociais, como o grupo social, o ambiente de trabalho que trazem algumas exigências.

Terapia para lidar com as compulsões

No filme, Becky justifica-se pela vergonha que passava com as escolhas da mãe. Talvez ela tivesse os esquemas de defectividade e vergonha bem como o de necessidade de admiração e reconhecimento.

Quem tem compulsão por compras sofre. E tem vergonha de falar sobre o assunto. Assim, as pessoas próximas podem saber do problema só quando ele já está difícil demais de ser resolvido.

Assim, a vida pessoal pode ser prejudicada  como um todo. Ao comprometer a saúde financeira e o patrimônio, os relacionamentos amorosos e familiares podem ser abalados.  

O que pode acontecer quando não se trata a oniomania?

Assim, muito frequentemente, a oniomania é acompanhada de ansiedade e/ou  depressão. Estes transtornos podem ser preexistentes ou agravados pelos comportamentos compulsivos.

Também há  pontos em comum com a dependência química e outras compulsões.

Quando a família tem acesso às finanças da pessoa que se endivida, pode tentar intervir. Interditar alguém por este motivo, no Brasil, não é um processo fácil, podendo levar meses.

Como todas as compulsões, por vergonha ou desespero, algumas pessoas podem até tentar o  suicídio, quando sua desorganização financeira chega a um limite e ela não vê soluções.

Portanto, tenha bastante cuidado com suas próximas compras, principalmente se você percebe que está em um quadro depressivo ou hipomaníaco. Não deixe de procurar ajuda psi.

____________

Thays Babo (CRP 05/23827) é  Mestre em Psicologia Clínica pela Puc-Rio, com formação em Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) pelo CPAF-RIO, extensão em Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT) pelo IPq (USP) e em formação em Terapia de Esquemas pela Wainer.

Atende a jovens e adultos em terapia individual, de casal e pré-matrimonial. Durante a pandemia, apenas terapia on-line

Black Friday – cuidados especiais para quem sofre de oniomania

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.