Há quem diga que a pandemia de coronavírus fechou o século 20. Assim, este Dia dos Namorados será o primeiro do século (e do milênio). Cá entre nós, será muito esquisito. Um Dia dos Namorados digital.

Namorados que não estão juntos durante a pandemia, sendo sensatos, manterão o distanciamento social. Ao mesmo tempo, depois de mais de 60 dias de afastamento, não celebrar a continuidade do relacionamento, presencialmente, tornará a data ainda mais estranha.

Em 2020, o dia 12 de junho caiu em uma sexta-feira, compondo o que seria o que o feriadão de Corpus Christi. Quem está longe do(a) namorado(a) fisicamente terá de apelar para a criatividade neste ano, contando com a ajuda da tecnologia para superar a saudade.

Apenas uma data no calendário

Eu sei, tu sabes, ele sabe, nós sabemos, todos sabem que o Dia dos Namorados é uma data criada com fins comerciais. Mesmo assim, muitas pessoas dão bastante importância a este dia.

Sendo uma data super importante para o comércio, somos bombardeados com anúncios em todas as mídias – digitais ou não. Em plena pandemia, alguns shoppings foram reabertos – o que causa preocupação com a saúde da população, principalmente duas semanas depois desta corrida ao comércio.

Para alguns casais, a data também pode ser o divisor de água: não receber nenhuma mensagem neste dia, ou apenas mensagens amigáveis, deixa claro o tipo de relação. A incerteza sobre o tipo de relacionamento que se vive acaba – e pode gerar luto.

Frustrações amorosas acontecem o ano inteiro mas parecem doer mais em datas festivas ( como também nas comemorações de final de ano).

Dia dos Namorados durante a pandemia de covid-19

Como na maioria das cidades brasileiras ainda há risco de infecção por coronavírus, se seu par amoroso está com você, fique em casa. Preparar comida juntos e assistir a filmes pode ajudar a criar um clima romântico. Muitos casais desfilam de moleton todos os dias – mas seria bom que, ao menos neste dia, houvesse um cuidado especial com a aparência.

Se vocês gostarem do estilo, confira a lista de  filmes românticos. Mas consuma com moderação: muito geram crenças disfuncionais sobre como deve ser um relacionamento amoroso.

Queixas amorosas

As queixas não vêm  só de quem não tem relacionamento: o dia 12 de junho pode ser incômodo até para quem está namorando e não comemora da forma – ou com quem – gostaria, por razões variadas. 

Tantas razões de incômodo se relacionam explicitamente com o que se vive nos outros 364 dias do ano. Tanto atinge quem não quer pensar sobre o estado amoroso em que se encontra como também pela condição econômica: querer comprar algo pra presentear e não poder.

Foto de Andreas Rønningen em Unsplash
O que é ativado no Dia dos Namorados

Estar sozinho(a) nesta época pode ativar crenças de que não se tem valor. Também ativa as de fracasso ou não atratividade.

Quem não lida bem com a solidão, não curte a solitude, pode enveredar por uma bad trip. Tentar escapar dos próprios sentimentos e pensamentos depreciativos através do abuso de substâncias tem sido uma tendência, durante a pandemia, preocupando especialistas em dependência química.

Se você conhece alguém assim, sugira que procure ajuda especializada.

Quando seu humor e bem estar dependem de estar com alguém, está na hora de se conhecer melhor – tanto para descobrir quem você é quanto para aprender como pode sobreviver (e bem) sem alguém do seu lado.

Não se desespere: goste de si, em primeiro lugar

Aprender a gostar de si, destacando o que você tem de melhor é o caminho para  se abrir para novas oportunidades, sem o constrangimento do desespero.

Afinal, o excesso de ansiedade em ter um vínculo amoroso – ou a tristeza por não ter  – causa justamente o oposto do que se deseja: diminui as chances de um relacionamento saudável. Possíveis parceiro/as equilibrado/as fogem de pessoas muito dependentes. Assim, as crenças pessoais negativas, de fracasso, de desvalor etc, acabam reforçadas.

Além de tudo, o amor não deve se restringir apenas ao relacionamento amoroso. Você pode – e deve – expandir o seu conceito de amor, como o valor mais básico, que sustenta a vida. E doá-lo – às suas amizades, nas suas relações familiares. Você também experimenta os benefícios do amor quando ajuda as pessoas – em atividades de voluntariado, por exemplo.

Quando você conseguir isto, verá que é muito mais fácil conseguir o que você estava mirando, a princípio. Gostando de você e de outras pessoas, você passa a ser mais  ‘gostável’, uma pessoa realmente ‘amável’. Dedique-se, invista no seu autocuidado e você se surpreenderá com a resposta que você receberá das pessoas à sua volta. 

Agende uma consulta online.
_________

Thays Babo é Mestre em Psicologia Clínica pela Puc-Rio, com formação em TCC pelo CPAF-RIO e extensão em Terapia de Aceitação e Compromisso pelo IPq (USP).

Atende a jovens e adultos em terapia individual, pré-matrimonial ou de casal, em Copacabana. Durante a pandemia, todos os atendimentos são online.

Dia dos Namorados digital versão 2020 (atualizado em 12.06.2020)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.