Que bom que você chegou ao meu blog, o Espaço Psi-Saúde. Criado em 2008, inicialmente ele se chamava Confabulando. Eu mudei bastante e o blog acompanhou tais mudanças.

As mudanças incluem alguns cursos (pós-graduação, formação e extensão). Também mudei a abordagem terapêutica. E definitivamente incluí práticas de mindfulness como recurso no processo de terapia.

Também mudei de consultório, do Centro para Copacabana. Mas, durante a pandemia de coronavírus, estou atendendo exclusivamente online. Atualmente, como terapeuta de casais, integro abordagens como Terapia de Aceitação e Compromisso, Terapia do Esquema e Terapia Cognitivo-Comportamental.

Fiz um resumo dos temas que você encontra aqui. Espero sugestões de temas para outros textos. Deixe sempre sua opinião – mesmo que seja para discordar.

Temas da Espaço Psi-Saúde

Os posts mais recentes abordam as mudanças que o coronavírus trouxe para nossas vidas, e os impactos desta pandemia na saúde mental.

Mas você encontrará outros assuntos

  • ansiedade,
  • depressão,
  • atenção e memória
  • relacionamentos amorosos
  • sexualidade
  • comentários de filmes que servem como filmoterapia
  • como escolher a terapia
  • terapia de casal
  • terapia pré-matrimonial
  • habilidades de comunicação.

O uso abusivo da tecnologia é um tema que me interessa, pelos problemas que aparecem no consultório. Trazem problemas para os relacionamentos amorosos e familiares e podem também piorar a saúde física e mental.

Relacionamentos amorosos

Desde a graduação, a Psicologia do Amor atrai a minha atenção, tendo sido tema de estudo no meu Mestrado na Puc-Rio, na linha de Família e Casal.

Durante o Mestrado, estudei o impacto da cultura de massa nos relacionamentos amorosos. Anos depois, a tecnologia digital trouxe novos desafios para os estudiosos dos relacionamentos amorosos .

Minha área de interesse inclui, logicamente, a sexualidade humana em sua diversidade. Estudei a bissexualidade, pouco compreendida ainda como orientação sexual legítima, por causa da bifobia.

Apesar de surpreendente, este preconceito vem não só dos héteros e dos homossexuais: muitos bissexuais que entrevistei também acham difícil entender ou aceitar sua orientação sexual, de tanto que ela é escondida, por medo do estigma.

Meditação – sua importância para a saúde mental e emocional

Outro tema com bastante destaque aqui é a meditação – do tipo mindfulness ou não. Pelos inúmeros benefícios que trazem as práticas de meditação, profissionais da área de saúde têm indicado cada vez mais.

A prática da meditação contribui para a regulação emocional, tão necessária para bons relacionamentos pessoais e também para o sucesso profissional.

A meditação é um grande auxiliar da psicoterapia e pode até ser também um recurso a ser usado durante a sessão. Durante a pandemia, está fazendo uma grande diferença na vida de quem pratica.

Muitas pessoas resistem a começar a prática, sem saber do que se trata na verdade. Neste blog você encontrará vários links sobre o assunto – e talvez o estímulo necessário para aprender a meditar.

As artes como auxiliares na psicoterapia

Muitos destes temas serão abordados através da análise de filmes, séries ou músicas. Alguns exemplos: o filme Divertida Mente, Duas mães e um pai, História de um Casamento, a música Nada tanto assim, a série Crazy Ex-Girlfriend.

As várias formas de arte nos possibilitam reconhecer problemas que, às vezes, não enxergamos em nós. Filmes, por exemplo, funcionam como filmoterapia. Além disto, durante a pandemia também tem sido uma opção de lazer, já que não podemos sair de casa temporariamente.

Carl Rogers, psicólogo americano, descreveu como faz bem ser ouvido, com empatia:

Gosto de ser ouvido. Algumas vezes, em minha vida, tive a impressão de estar sendo esmagado por problemas insolúveis, ou então de girar em torno do mesmo ponto, em círculos infernais. Durante certo período, arrasado por sentimentos de indignidade e desespero, tinha até a certeza de descambar para a doença mental. Acho que fui mais feliz do que os outros, por ter encontrado, nesses momentos, pessoas que foram capazes de me ouvir e me livrar do caos de meus sentimentos. Tive a sorte de encontrar pessoas que puderam me entender, mais profundamente que Eu mesmo, o sentido do que Eu dizia. Escutaram-me sem me julgar, sem fazer diagnóstico a meu respeito, nem me apreciar, nem me avaliar. Simplesmente me escutaram, esclareceram o que eu dizia e me responderam em todos os níveis em que eu tentava me comunicar.

Posso lhe garantir que, quando você se acha num desnorteamento psíquico e alguém o escuta realmente, sem julgar você, isso faz um bem danado. A cada vez, isso relaxou a tensão que existia em mim, me permitindo exprimir os sentimentos mais assustadores de culpa, de desespero, as confusões em que me encontrava. Quando sou ouvido e entendido, torno-me capaz de ir em frente. É espantoso constatar que sentimentos que eram totalmente assustadores tornam-se suportáveis assim que alguém escuta você. É incrível ver que problemas que parecem impossíveis de resolver tornam-se de solução possível quando alguém nos ouve e que situações que parecem irremediavelmente confusas, de súbito se esclarecem quando alguém nos compreende.

Os gregos já apontavam a relação corpo e mente, que não se separam. Mens sana in corpore sano. Cuidando da sua mente, sua saúde física será beneficiada.

A terapia é, pois, uma necessidade e não um luxo. Deveria ser considerada um autocuidado básico – tanto quanto atividades físicas, dieta adequada e sono. Neste momento de pandemia, ainda mais.
Atendimento online

A flexibilidade – psicológica e cognitiva – é uma das condições de saúde mental. Graças à internet, podemos continuar (ou iniciar) a terapia . No auge da crise do Covid-19, a tecnologia é um recurso importante para cuidarmos dos nossos vínculos afetivos. Continuamos conectados com as pessoas importantes de nossas vidas, mantemos nosso trabalho – e até exercitamos – por que não nos tratamos?

Caso você queira marcar uma consulta online, mande uma mensagem para o meu e-mail. Você pode saber mais sobre meu trabalho. Estou no InstagramYouTube, Facebook, Twitter e no LinkedIn.

Em breve, uma newsletter para você. Cadastre seu e-mail.

Thays Babo (CRP 05/23827) é  Mestre em Psicologia Clínica pela Puc-Rio, com formação em Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) pelo CPAF-RIO e extensão em Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT) pelo IPq (USP).

Atende a jovens e adultos em terapia individual, de casal e pré-matrimonial . Durante a pandemia, apenas atendimento on-line

Espaço Psi-Saúde – conheça

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.