Reconhecendo suas emoções e aprendendo com elas: filmoterapia (2)

Reconhecendo suas emoções e aprendendo com elas: filmoterapia (2)

Divertida Mente, produção da Pixar, recebeu o Oscar de Melhor Animação, em 2016. É ótima indicação como filmoterapia: quem assiste pode aprender a reconhecer suas emoções e também a importância de não as negar, sabendo viver cada uma delas, no momento certo.

Nem todo amor dito romântico é amor de verdade

Nem todo amor dito romântico é amor de verdade

O amor romântico, que é bem recente, em termos históricos, domina o imaginário ocidental. Seus ideais, inatingíveis para a maioria das pessoas, podem causar mais problemas do que satisfação. É importante aprender a reconhecê-los, para não necessariamente alimentá-los. E isto não significa tirar a delicadeza, companheirismo e o cuidado dos relacionamentos amorosos. Entenda melhor o que é o amor romântico e como estamos com tanto medo de ficarmos sós, em nossa própria companhia.

Encarando a vida nos olhos

Encarando a vida nos olhos

Ricardo Darín prende, com a sua atuação, em um filme que traz reflexões filosóficas. , tornando palatável um tema super difícil, como a finitude. Neste filme, podemos encarar nossa própria existência e terminalidade, com doses de bom humor para dissolver a tensão do assunto.

A difícil arte de se equilibrar – filmoterapia (1)

A difícil arte de se equilibrar – filmoterapia (1)

Comer, rezar, amar fez sucesso nas livrarias e no cinema, contando a história verídica de uma americana que, após se divorciair, sai em busca de si mesma, passando pelo aprendizado da meditação. Serve como filmoterapia sobre crises e equilíbrio.

Oscar 2015

Para quem tem paixão pelo cinema, fevereiro é uma das épocas do ano mais movimentadas: muitas boas opções em cartaz, batendo ‘urgência’ de ver alguns dos filmes indicados ao Oscar. Quem acompanha o Confabulando sabe que o foco aqui são as questões