Namoro de verdade? Ou ilusão?

Não quero parecer antirromântica mas a proximidade do Dia dos Namorados, mais uma vez gera uma pressão sobre quem está sem alguém com quem comemorar. Também há a pressão das campanhas bonitinhas que entram no ar, atrelando o consumo à

Clichê do clichê

Dizer que ‘o tempo voa’ é um clichês dos mais manjados. Mas, nos últimos meses, tem sido o ‘mantra’ que mais repito. Como compôs Chico, em Almanaque, “a ampulheta do tempo disparou”. To sempre me desculpando com amigos e parentes

A cultura do terror

Totalmente ao acaso, abri hoje um livro que tenho há anos, chamado O livro dos abraços, do Eduardo Galeano. Achei algumas pérolas nele, algumas, de dor. Deixo uma para reflexão individual: A CULTURA DO TERROR A extorsão, o insulto, a

Amores na telona

No post com dicas cinematográficas para o Dia dos Namorados, falei o óbvio: filmes sobre relacionamentos amorosos são um grande filão. Nem preciso me alongar aqui, relembrando que, afinal, o amor é uma das questões centrais na vida do ser

I-pod: você tem um?

Ah, não? então “you´re a loser“. Em português claro, você é um/a perdedor/a. Pelo menos, segundo o slogan que odiei. Descobri aliviada que o slogan não é da empresa, e sim de um Ipod-maníaco. Menos mal, pois a frase é hedionda,