Totalmente ao acaso, abri hoje um livro que tenho há anos, chamado O livro dos abraços, do Eduardo Galeano. Achei algumas pérolas nele, algumas, de dor. Deixo uma para reflexão individual:

A CULTURA DO TERROR

A extorsão,
o insulto,
a ameaça,
o cascudo,
a bofetada,
a surra,
o açoite,
o quarto escuro,
a ducha gelada,
o jejum obrigatório,
a comida obrigatória,
a proibição de sair,
a proibição de se dizer o que se pensa
a proibição de se fazer o que se sente,
e a humilhação pública
são alguns dos métodos de penitência e tortura tradicionais na vida da família. Para castigo à desobediêcia e exemplo de liberdade, a tradição familiar perpetua uma cultura do terror que humilha a mulher, ensina os filhos a mentir e contagia tudo com a peste do medo.
Os direitos humanos deveriam começar em casa – comenta comingo, no Chile, Andrés Domínguez.


Galeano, E. O livro dos abraços. Porto Alegre: L&PM, 1991. p. 141




Enfim, pais e mães, mestres, repensemos nossa responsabilidade nas nossas relações, nas quais exercemos poder – e como.

———–
Thays Babo é Mestre em Psicologia Clínica pela Puc-Rio e atende no Centro (Rio).

A cultura do terror

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.