O dia de São Valentim, mais conhecido entre nós como Valentine´s Day, é comemorado dia 14 de fevereiro em vários países. Na era digital, acabou sendo adotado por vários casais brasileiros também.

No entanto, quem não tem com quem  comemorar a data pode sentir frustração. Muitas pessoas atribuem seu  ‘sucesso pessoal’  a estar em um relacionamento amoroso – o que é uma pressão enorme e injusta. Não se deve manter um relacionamento abusivo para não ficar só. Mas isto acontece muitíssimo.

À parte o consumismo que datas comemorativas geram, é bom  celebrar os vínculos saudáveis.

Muito tem se falado sobre o impacto da tecnologia nos relacionamentos amorosos e que a internet foi um marco  no estudo da Psicologia do Amor. Primeiro surgiram sites de relacionamentos, mas, com a invenção dos smartphones, a mudança foi ainda mais radical. Assim, algumas datas comemorativas se globalizaram.

Mudanças nos relacionamentos amorosos na era digital

Aplicativos como Tinder e Happn aumentaram as possibilidades de encontros que nunca aconteceriam, inclusive de pessoas que moram em países diferentes. 

Mas, a aparência assumiu um papel ainda maior na  escolha amorosa para quem usa estes recursos. Pode-se ser mais exigente em um aplicativo do que na vida real. Mas a  foto “boa” pode  ser o suficiente para  a aproximação. Com sorte, agenda-se  um encontro. Mas não é garantia de um relacionamento amoroso satisfatório

O slogan “Imagem é tudo” nunca foi tão verdadeiro – mas não sustenta uma relação.

Todo mundo sabe: muitas fotos são exaustivamente manipuladas  e  não é possível acreditar no que se vê. Nem em fotos e nem em vídeos. Muitos são os relatos de pessoas que se decepcionam logo no primeiro date. Seja porque a foto foi photoshopada, seja porque a pessoa escolheu fotos antigas, que não correspondem à realidade.

Quando isto acontece, a pessoa enganada costuma não dar uma segunda chance. Não faça isto, se você quiser ter pelo menos um segundo encontro. Existem várias dicas que os especialistas dão para que seu perfil seja atraente. Mas nenhum deles incentiva mentira.

Resumindo: o problema dos relacionamentos na era digital não é o surgimento dos aplicativos e sim de quem os usa e de como usa. 

Solitude

Então, o que resta? Caso hoje você não tenha com quem comemorar, é bom encarar suas dores. Melhor ainda é poder transformá-la e desfrutar da solitude – que é diferente de solidão.

E é bom lembrar que, como em todas as outras celebrações do ano, nem todas as pessoas estarão felizes neste dia. Mesmo aquelas que estão em um relacionamento amoroso. E tudo bem.

Sim, pode ser doloroso, como cantou o Queen em “Somebody to Love“, um ‘hino’ em que interpela Deus por estar só, depois de tanto esforço.

Muita gente se sente mais cansada da busca nestas datas. Como você está hoje? Sente algum desconforto em relação à sua vida amorosa?

 

Valores

Já parou para pensar quais são os valores mais importantes na sua vida? O que pode contribuir  a própria realização pessoal?

Na verdade, não estar em um relacionamento  pode ser uma escolha muito sábia, dependendo dos valores que se tem e da importância que se dá ao julgamento social.

Solitude é diferente de solidão, pode trazer mais paz e bem estar – afinal, nem todos os relacionamentos de longa duração são felizes.  

Nem tudo o que é postado é para se acreditar

Como você já sabe, nem tudo o que se posta nas redes sociais é real. Nem  todos os casais que se exibem estão felizes como aparecem no Instagram ou no Facebook. Afinal, quem nunca presenciou um casal que mal se fala posar para fotos nas redes, como estando feliz? Os olhos não se fixam  um no outro e sim nos seguidores que cada um tem em suas  redes sociais… namoros

Algumas perguntas você deveria se fazer quando não se sentir bem com o seu status:

  • Se está em um  relacionamento péssimo, para que continuar? É tão ruim assim ficar  só?
  • O quanto você mantém  seu relacionamento apenas para ficar bem perante o olhar alheio?
  • É possível amar o outro sem verdadeiramente se amar?
  • Quais são os seus valores? O que espera de um relacionamento? O que quer para si?

vantagens

Várias indagações  podem ser feitas,  por quem quer ter uma vida com significado.

Terapia para ter melhores relacionamentos

Você pode até escolher não se perguntar nada e viver na montanha russa dos relacionamentos, pelo vício nas emoções – mesmo nas ruins. Mas isto costuma ter um preço, que é cobrado mais tarde na vida.

Dependendo dos modelos amorosos que você recebeu quando criança, você elaborou crenças e esquemas mentais sobre o amor.

Nem sempre é fácil romper  padrões de desamor. Pelo medo da solidão, por dependência emocional, autossacrifício ou privação emocional algumas pessoas aceitam qualquer coisa. É importante saber o que está gerando sofrimento emocional em você.  

Se você hoje vive um relacionamento amoroso saudável, que faz com que você cresça, parabéns. Cuide deste vínculo, confie, esteja presente e agradeça à vida e a seu par  a oportunidade de crescimento pessoal.

E se assim não for, cuide de você em primeiro lugar. Veja que você merece carinho, cuidado, tudo o que você quer oferecer a outra pessoa, ofereça primeiro a si.

rose

E se estiver difícil, faça psicoterapia, para descobrir porque tem sido assim.

 ______________________

Thays Babo (CRP 05/23827) é  Mestre em Psicologia Clínica pela Puc-Rio, com formação em Terapia Cognitivo Comportamental (TCC) pelo CPAF-RIO e extensão em Terapia de Aceitação e Compromisso (ACT) pelo IPq (USP).

Atende a jovens e adultos em terapia individual, de casal e pré-matrimonial em Copacabana e on-line

Dia de São Valentim

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.